BATERIA DE CENTELHA

Dispositivo desenvolvido para armazenamento de quarta energia bruta, geralmente usado para alimentar algum transformador que vai converter essa energia em eletricidade. Tal bateria é formada por um invólucro blindado de metal, recheado com espuma plástica isolada com tecido térmico, abrigando em seu interior esferas de cristal, também chamadas de núcleos de cristal. O núcleo de cristal é responsável por conter quarta energia bruta, congelando-se assim que é carregada de energia, graças ao fenômeno de alternância térmica causado pela circulação de quarta energia.
Conforme a energia gira pela esfera ela se concentra, “chupando” o calor, causando congelamento nos arredores e a contração do núcleo de cristal, criando micro fissuras em sua estrutura. A medida que a energia é consumida, o núcleo volta ao normal, tornando as fissuras uma medida de vida para a bateria. Quando carregada a bateria tende a exibir uma cor esverdeada e luminosa, perdendo intensidade conforme é consumida.
Existem muitos tipos de baterias de centelha, sendo que as menores, usadas para alimentar as armaduras de combate, possuem o tamanho e a grossura de uma unha de dedo, lembrando um tipo de chip. Na verdade o núcleo de cristal, nesse caso, tem o tamanho de um grão de areia (na maioria dos casos ele é muito menor do que imaginamos), o que nos mostra quão eficiente é a quarta energia. Em contra partida, os sistemas alimentados por quarta energia ainda usam fundamentalmente eletricidade, causando um contraste entre o congelamento e o aquecimento.
Baterias grandes, usadas para alimentar SAMs, possuem o tamanho de uma caixa de sapatos, e possuem centenas de núcleos de cristal e uma complexa estrutura para suportar o efeito de congelamento, possuindo até aquecedores internos.
Óbviamente, recarregar uma bateria de centelha exige o equipamento adequado e uma centelha.

Advertisements